06/08/2009 Jeff Dahmer


Jeffrey Dahmer, chamado de Jeff pelos amigos, o rapaz amigável, que trabalhava em uma fábrica de chocolates, se interessava por esportes e havia se mudado há um ano e meio da casa de sua avó, acabou por revelar-se um dos mais cruéis psicopatas da história.
Foi na noite de 22 de julho de 1994, quando um carro patrulha, que fazia a ronda pelas ruas de Milwaukee, deparou-se com um jovem negro, seminu, que parecia totalmente descontrolado, seu nome era Sandy e ele fugira da casa de outro homem, chamado Dahmer, o qual conhecera em um bar para homossexuais. Sandy foi até a casa de Dahmer, a convite do próprio, para tomar uma bebida, chegando lá, o terrível cheiro do ambiente e as atitudes de seu anfitrião começaram a levantar suspeitas, principalmente após este por algemas em Sandy. Mesmo entorpecido após beber uma cerveja "com o gosto mais estranho de sua vida", Sandy juntou o que lhe restava de forças e fugiu.
Os policiais puseram Sandy numa ambulância e foram averiguar a casa onde ele afirmou ter estado. Chegando lá foram recebidos por um atencioso e educado Jeff Dahmer, que apesar do adiantado da hora, não se incomodou em receber os policiais e lhes mostrar a casa. Explicou que o mal cheiro da
casa devia-se ao fato de seu congelador ter quebrado, não tendo sido consertado ainda. Mas chegando na cozinha os policiais se depararam com algo muito pior que um congelador defeituoso: manchas gordurosas e escuras por todo o chão, três crânios, ainda com cabelos, envoltos em celofane e guardados nas prateleiras do freezer, um dorso na pia, aberto do pescoço até o estômago, um pênis cortado pela metade na pia, outro em um jarro e um terceiro, guardado na geladeira, em uma panela de lagostas, e vários restos de corpos, espalhados em frascos de formol pela casa, além de uma serra elétrica usada para os esquartejamentos. Apesar desse quadro aterrador, Jeff comportava-se como se não hovesse nada de anormal em sua casa e repetia continuamente para dois estarrecidos policiais: "Existem momentos na vida onde deve-se ser de todo honesto, este é um deles..."
Embora não tenha oposto nenhuma resistência, Jeff foi levado preso como uma fera. Horas depois, uma equipe de técnicos, munida de garrafas de oxigênio passou um pente fino na casa de Jeff, encontrando cadáveres ou restos de cadáveres.
Mas essa não era a primeira vez que Jeff se envolvia com a polícia, já tendo sido condenado a cinco anos de prisão por molestar um menor, com a pena sendo reduzida para um ano, por interferência de seu pai. Além disso, na casa de sua avó foram encontrados montes de ossos que Jeff, na época, afirmou serem de animais, o que não surpreendeu ninguém, uma vez que, quando crinaça ele apresentava gosto doentio por desossar animais (algo perfeitamente compatível com a personalidade de psicopatas, que em geral tem pequenos animais como suas primeiras "vítimas"). Mas o pior não foi isso, tempos antes de ser descoberto, uma vizinha chamou a polícia por desconfiar de uma confusão que ocorria na casa de Jeff, ao chegarem os policiais encontraram um jovem asiático, chorando completemente nu, sentado nas escadas em frente a casa. Ele não dominava o inglês, então, o sempre educado Jeff, saiu de casa e convenceu os policiais que tudo não passava de uma briga entre dois namorados homossexuais. Satisfeitos com essa versão, os policiais nem pediram para entrar na casa, e ainda foram aconselhar a vizinha a tomar conta de sua vida.
Digg it StumbleUpon del.icio.us

2 comentários:

Sandra Helena* disse...

Bah...

Mi disse...

vixxx.....esse era o cara. de pau! rss...

Postar um comentário

 
Melhor visualização no navegador Google chrome