02/10/2010 18 anos após O massacre do carandiru


Em 02 de outubro de 1992,o pavilhão 9 da Casa de Detenção Carandiru foi o cenário de um dos episódios mais sangrentos da história penitenciária mundial.
Mesmo após esse incidente os culpados pelo massacre não foram punidos.
O Principal coronel responsavel pela entrada na penitenciaria foi encontrado morto em seu apartamento na cidade de Jardins,zona nobre de são paulo no dia 09/09/2006, aos 63 anos de idade.
Conheça os detalhes de um dia que já virou livro, filme, série de TV e entrou para a história.

10:00
Enquanto, no pátio, rola uma partida de futebol, 2 detentos (Barba e Coelho) começam a brigar dentro do pavilhão. Logo, os presos se dividem em 2 grupos rivais e a briga se espalha pelos andares.

14:00
A rebelião já está instalada e todos os carcereiros já abandonaram o local. Há fogo do lado de dentro, mas não há reivindicações por parte dos presos. O chefe da Casa de Detenção pede reforços da PM.

15:30
Chamados pelo diretor da Casa de Detenção, cerca de 320 policiais estacionam fora do pavilhão 9. Entre eles, homens de batalhões de elite como Rota, Gate, 30 Choque e Cavalaria, além de alguns bombeiros. O diretor do presídio, Ismael Pedrosa, tenta uma última negociação. Do lado de dentro, a confusão está instaurada.

16:00
Grupos de direitos humanos alegam que os presos decidem pôr fim à rebelião e que muitos entregam as armas. A versão da polícia diz que as armas estavam sendo atiradas pelas janelas contra os policiais.

16:30
A polícia rompe a barricada e entra no pavilhão. O cel. Ubiratan diz que 86 homens participaram da operação. A promotoria diz que eram mais de 300 – a maioria sem os crachás de identificação.

16:45
No térreo, a situação é controlada facilmente. A defesa de Ubiratan alegou que ele foi atingido por uma explosão ao tentar subir para o 10 andar e levado ao hospital, ficando fora da operação.

16:50
No 1º andar, policiais encontram nova barricada, com um preso morto pendurado de cabeça para baixo. 26 homens teriam sido assassinados neste piso, segundo a perícia.

17:00 - Versão da polícia
Centenas de presos preparam uma tocaia. Policiais são recebidos com facadas, estiletes sujos de sangue contaminado, sacos cheios de fezes e urina, e tiros. Atiram para se proteger. Segundo Ubiratan, se houvesse intenção de exterminar os presos, muitos outros teriam morrido. "Só morreu quem entrou em confronto com a polícia", disse à Super. A perícia concluiu que apenas 26 foram mortos fora da cela.

17:00 - Versão dos presos
Os detentos haviam se rendido e estavam dentro das celas desarmados. "As trajetórias dos projéteis disparados indicavam atirador(es) posicionado(s) na soleira das celas, apontando suas armas para os fundos ou laterais", diz o laudo do Instituto de Criminalística. A perícia também concluiu que 70% dos tiros foram dirigidos à cabeça e ao tórax, o que reforça a idéia de extermínio. Para escapar com vida, presos se misturaram aos colegas mortos.

17:30
A perícia não encontrou indícios de confronto no 3º e 4º andares, o que reforça a teoria de que o enfrentamento entre polícia e presos se deu principalmente nos pisos inferiores.

18:00
Policiais mandam que os presos tirem a roupa e desçam para o pátio interno. Grupos de direitos humanos alegam que muitos foram executados durante essa operação.

19:00
Presos são escalados para carregar os corpos até o 1º andar, onde são empilhados, modificando o cenário do episódio e dificultando as conclusões da perícia.

Pedro Franco de Campos
Era secretário de Segurança Pública do estado e foi exonerado após o massacre. Não estava no local, mas autorizou a invasão do pavilhão 9, desde que houvesse consenso entre as autoridades presentes sobre a ação.

José Ismael Pedrosa
Era diretor da Casa de Detenção. Após o episódio, foi afastado do cargo. Foi ele quem acionou a PM, depois que a rebelião havia sido deflagrada.

Cel. Ubiratan Guimarães
Era comandante de Policiamento Metropolitano da PM e chefiou a invasão. Foi julgado e condenado, mas não chegou a cumprir sua pena,encontrado morto em 2006.

A rebelião tomou conta de quase todo o pavilhão, mas os pisos mais afetados foram os inferiores. A área representada no infográfico acima é a que aparece colorida no esquema à direita.

• 8 presos mortos. Foi o que a polícia divulgou no dia, véspera de eleição.
• 111 presos mortos (é o número oficial, apesar de ex-detentos insistirem em mais de 200).
• 103 vítimas de disparos.
• 8 vítimas de objetos cortantes.
• 0 policial morto.
• 130 detentos feridos.
• 23 policiais feridos.
• 515 tiros disparados.
• 120 policiais indiciados.
• 86 policiais julgados.
• 1 policial condenado (cel. Ubiratan).
• 632 anos de prisão foi a sentença.

No dia 11/04/2003 em memorial ao incidente carandiru . foi lançado um filme sendo um dos mais polêmicos do genero..
abaixo o trailer do filme.



Fonte Abril
Digg it StumbleUpon del.icio.us

10 comentários:

LolaaaH disse...

Parabéns pela postagem...está ótima

TrevinDs disse...

Fico feliz em saber que gostou ^^)
obrigado

Scooby disse...

111 presos mortos foi muito pouco, tinha que matar todos!!! Alí não tiha nenhuma santo, e antes 111 presos mortos do que 1 policial.
Não defendo bandido, e para mim, quem os defende é da mesma laia!!!!
Bandido bom é bandido morto e enterrado em pé, que é para não ocupar espaço.

Anônimo disse...

CONCORDO COM O SCOOBY!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

tinha que morrer é um babaca com um pensamento desse.

Anônimo disse...

Scooby,tomara que vc não tenha filhos pq nem Jesus julgou aquela prostituta,ele disse quem não tem pecado atira a primeira pedra,ele que era o todo poderoso teve este pensamento,então quem é vc para julgar aqueles homem?
E outra coisa os PIORES BANDIDOS SÃO OS POLICIAIS,pq eles cometem crimes e não são punitos.

Anônimo disse...

Missão dada, missão cumprida.

Anônimo disse...

Neste país não tem ninguém santo. Onde tem poder, tem abuso. Mas daí a defender bandido, não concordo, até porque prisão não recupera ninguém. E se não era bandido, lá acabou ficando. Não sei pra que tanta repercussão por terem removido gente deste tipo da face da terra.

Anônimo disse...

Se vc não concorda com bandido morto, é pq vc nunca sentiu a dor de ter um familiar morto por um bandido que queiz roubar seu carro e pq achou que seu familiar iria regir ao assalto deu na cabeça, sem dor, sem pena. Tomara que ninguem na sua familia morra assim, mas se acontecer ai vc concordara que bandido bom é morto, tam que matar essa raça tudo.

Anônimo disse...

Hoje vivemos com medo dos bandidos, isso tem que mudar, nós pessoas de bem temos que nos preparar para nos defender quando necessario...Eu tenho minha arma e estou pronto para me defender, e voces ?...Deus não segura bala crianças...

Postar um comentário

 
Melhor visualização no navegador Google chrome