04/08/2009 Pedro Alonso Lopez


Pedro Alonso Lopez, mais conhecido como Monstro dos Andes, nasceu na Colômbia, porém seus crimes se extenderam por um total de três países. Com apenas oito anos, sua mãe (uma prostituta) o expulsou de casa, já que estava acariciando a irmã, seria o começo de uma vida trágica, marcada por crimes, abusos e mortes.
Quando completa 18 anos, é estuprado por uma gangue na prisão, para se vingar executa três dos agressores. Mesmo cometendo tais delitos, é solto, começando uma seqüência de crimes que conduziram a um total de mais de 100 mulheres mortas em apenas um ano (1978), no Peru. Em seu último ataque no Peru, o Mosntro dos Andes é perseguido por uma população aldeã, levando-o a mudar seu local de atuação para Colômbia e Equador.
Segundo ele, foi mais divertido matar as mulheres equatorianas porque eram "mais gentis e confiáveis, mais inocentes.". Graças as qualidades mencionadas, aumentou o número de assassinatos, passando para um média de três mortas por semana.
Apesar da onda de crimes, as autoridades locais atribuíram os desaparecimentos à prostituição e a escravidão comuns nestes países, contudo sem conduzir investigações que pudessem garantir bases concretas para sustentar tal hipótese. Em 1980, as inundações mostrariam que esses atos na verdade eram cometidos por um serial killer, uma vez que vários corpos foram encontrados.
Através de investigações, a polícia chegou ao nome de Pedro, que durante seu interrogatório declarou a autoria de vários assassinatos. Mais uma vez, o ceticismo levou a descrença que apenas um indivíduo pudesse matar tantas pessoas em tão pouco tempo. Para acabar com tal mentalidade, o próprio Monstro dos Andes apresentou ao público mais de 50 covas.
Atualmente, as expectativas não cogitam nem 300 mortes, isto é pouco para um dos maiores psicopatas que já assolaram a América Latina.
Digg it StumbleUpon del.icio.us

1 comentários:

Sandra Helena* disse...

Que horror!
Que monstro!

Postar um comentário

 
Melhor visualização no navegador Google chrome